domingo, 28 de junho de 2015

A Solitude da Viagem

Agora estou indo
para um lugar desconhecido
parti de um porto fantasma
de onde não se via mágoa

Agora estou indo
sem rumo e sem medo
passei por um ilha,
que de longe via-se frutos negros

Agora estou indo
e não mais cheguei
o sol brilhava forte
e de noite descansei

Agora estou indo
vi uma luz no céu
pensei que fosse deus
que viera me salvar

Agora estou indo
com fome e com frio
pois a noite passou
choveu e me molhou

Agora cheguei
num lugar desconhecido
aonde fui parar?
Melhor eu ir pescar

Agora cheguei
observando o balanço do mar
notei que haviam baleias
e gaivotas a voar

Agora cheguei
fui vasculhar o lugar
que bela decepção
não haviam pessoas no novo lar

Agora cheguei
mas por surpresa minha
um bote encontrei
reuni suprimentos e lancei-me ao mar

Agora estou partindo...

(A primeira poesia que fiz em meados de 1999 - oitava série.  =)